A utilização de smartphones à noite afeta a qualidade do sono?

A exposição noturna à luz em demasia, especialmente a luz azul emitida pelos ecrãs de smartphones, tabelas e computadores pode reduzir o tempo e qualidade do sono.

A relação entre o uso destes equipamentos à noite e o sono dos adolescentes foi alvo de um estudo divulgado em Lyon, França, durante o encontro anual da Sociedade Europeia de Endocrinologia.

O estudo conclui que demasiada exposição noturna à luz, especialmente a luz azul emitida pelos ecrãs de smartphones, tablets e computadores, pode afetar o relógio biológico do cérebro e a produção da hormona do sono, melatonina, resultando numa perturbação no tempo e qualidade do sono.

“A falta de sono não só causa sintomas imediatos de cansaço e perda de concentração, mas podem aumentar o risco de problemas de saúde mais sérios a longo prazo”.

Sociedade Europeia de Endocrinologia

É do conhecimento comum que a utilização de smartphones e outros equipamentos eletrónicos antes de dormir tem uma influência negativa na hormona do sono, melatonina. A luz azul dos computadores, smartphones e tablets atrasam e desregulam a produção endógena de melatonina. Recomenda-se a utilização do smartphone por um curto período de tempo e que este esteja em modo “noite”, para que não desperte quando recebe uma mensagem ou notificação.

Os jovens que passam mais de 4 horas em frente a ecrãs adormecem, em média, 30 minutos mais tarde do que os jovens que permanecem menos do que uma hora expostos à luz dos aparelhos.

A melatonina é uma substância natural que é produzida pelo nosso corpo, no centro do cérebro. Todas as pessoas produzem melatonina quando está escuro. A melatonina faz-nos sentir com sono. Como a produção de melatonina é muito sensível, a sua ação pode ser facilmente interrompida por uma exposição à luz artificial. Um suplemento de melatonina pode ser tomado a qualquer hora do dia que pretenda descansar. Esta é uma boa notícia para as pessoas que trabalham por turnos ou que não tenham um horário de trabalho regular (como os estudantes durante os exames).