Coronavírus

Este novo coronavírus chegou a 2020. O assunto está a ser acompanhado pelas autoridades nacionais e internacionais na área da saúde, que destacam, à data, alguns cuidados a ter em caso de viagem para países com casos confirmados.

O que são os coronavírus?

Os coronavírus são vírus que existem maioritariamente em animais, mas que, em algumas circunstâncias, podem causar infeções em humanos, algumas delas com manifestações semelhantes às da gripe comum – febre, tosse e falta de ar. Há casos que evoluem para doença mais grave, como a pneumonia.

Onde, quando e como.

Onde: O novo coronavírus foi identificado pela primeira vez em humanos, em Wuhan, na China. Já se detetaram alguns casos noutros países, maioritariamente no Continente Asiático, mas também na Oceânia, América e na Europa (França, Alemanha e Finlândia).

Quando: A Organização Mundial de Saúde (OMS) foi alertada, em dezembro de 2019, para alguns casos de uma pneumonia de origem desconhecida, na cidade de Wuhan, tendo a existência do vírus sido confirmada, pelas autoridades chinesas, no dia 07 de janeiro 2020.

Como: Ainda não se conhece a fonte da infeção, mas acredita-se que possa ter origem animal – a maioria dos casos está associada a pessoas que frequentaram um mercado de alimentos e animais vivos (peixe, marisco e aves). O mercado foi, entretanto, limpo e encerrado.

De que forma se transmite o vírus?

Ainda não são completamente conhecidas as formas de transmissão, mas já foi confirmada a transmissão de pessoa a pessoa, mas as autoridades internacionais continuam a investigar esta questão.

Será que estou em risco?

Neste momento, considera-se que existe uma probabilidade moderada de importação de casos infetados para a Europa. No entanto, se esteve recentemente na China, vigie possíveis manifestações respiratórias (febre, tosse ou falta de ar) nos 14 dias após o regresso.

Se tiver sinais ou sintomas, antes de recorrer aos serviços de saúde, ligue para o SNS 24 808 24 24 24.

Sabia que…?

Já houve mais surtos associados a coronavírus (entre 2002 e 2003, foi identificado o coronavírus SARS-CoV, responsável pela síndrome respiratórias aguda grave e, em 2012, o coronavírus MERS-CoV, responsável pela síndrome respiratória do Médio Oriente).

Portugal está preparado para dar resposta em caso de doença – está em curso a implementação de diversas medidas para a prevenção e controlo da infeção.