O que precisa de saber sobre Celulite

A celulite, em medicina designada por Lipodistrofia ginóide, é uma condição da pele que não se deve propriamente à acumulação de gordura, mas deve-se sim,  a alterações ao nível do metabolismo e formato das células do tecido adiposo, dando a origem ao típicos nódulos de gordura, toxinas e água, fazendo com as células ganhem um aspeto fibroso.

A pele ganha um aspeto grumoso, muito conhecido por “pele casca de laranja”, pudendo desta forma aparecer também em mulheres magras. Embora possa aparecer em ambos os géneros, é muito mais frequente na mulher, sobretudo na parte externa das coxas, na parte interna nos joelhos, glúteos e abdómen.

Não é de todo uma doença grave, contudo, grande parte das vezes acaba por afetar a autoestima feminina.

É importante não confundir este tipo de celulite com a celulite infeciosa, que se trata de uma infeção bacteriana grave, que se reflete em vermelhidão, rubor, dor e inchaço na zona da pele afetada que se espalha rapidamente e que pode mesmo ser fatal, caso não seja devidamente tratada.

Focando somente na Lipodistrofia ginóide, podemos ainda classificá-la em quatro grandes graus:

  • GRAU 1 Leve A celulite não é visível nem palpável, apenas se observa quando se pressiona a pele ou por contração muscular. Neste grau as toxinas começam-se a instalar, contudo se for imediatamente tratada pode mesmo desaparecer.
  • GRAU 2 Visível Começa a tornar-se visível sem ser necessário apertar a pele sendo que o sistema linfático começa a manifestar algum grau de comprometimento.
  • GRAU 3 Intensa Neste grau, já se trata de uma celulite intensa, pois a superfície da pele ganha nódulos visíveis com uma textura áspera, poros dilatados, pudendo surgir micro varizes, já que a circulação do sangue começa a ficar mais cada vez mais afetada.
  • GRAU 4 Grave Esta é a fase mais grave da celulite, estão presentes marcas na pele muito evidentes e os nódulos de gordura acabam por se tornarem prejudiciais ao nível da circulação sanguínea, havendo uma dificuldade acrescida em eliminar as toxinas. É comum existir inchaço acompanhado de dor.

A celulite pode estar associada a inúmeras causas, sendo que as mais comuns passam pela má circulação sanguínea, em que a eliminação de toxinas é dificultada pela presença distúrbios circulatórios, alterações hormonais como a puberdade, gravidez, menopausa ou a toma de contracetivos orais.

Uma alimentação desadequada acompanhada pela falta de exercício físico regular e ainda uma outra causa que pode estar associada ao aparecimento de celulite passa por fatores genéticos, isto é a probabilidade de aparecer celulite numa mulher com um histórico familiar é muito maior.

Em suma,  no que toca a tratamentos propriamente ditos, atualmente existem no mercado uma panóplia deles, desde massagens até equipamentos que recorrem a diferentes tecnologias para conseguir ativar a microcirculação e desta forma uniformizar a dita “pele tipo casca de laranja”.

A chave para conseguirmos desde logo evitar a progressão da celulite passa pela prevenção. Esta é possível através de um estilo de vida saudável, aliando sempre uma alimentação adequada, com exercício físico e hidratação intensa.